Não despreze seu pescoço

Intensificar o uso de filtro solar é fundamental depois dos 50, alerta a dermatologista Daniela Lemes. E, principalmente, não se esquecer de hidratar e proteger áreas do corpo que passam despercebidas, como pescoço e mãos. Ela participará de debate promovido pelo Mulheres50mais no dia 15/9.

Com a menopausa, o ressecamento da pele aumenta e as mulheres precisam redobrar os cuidados para driblar o envelhecimento natural do corpo. Algumas ações podem ajudar nessa batalha diária, mas uma coisa é certa: o filtro solar passa a ser um item indispensável na vida e na bolsa de todas nós, mesmo para as que não gostam de praia ou de piscina. A exposição ao sol é um dos vilões para a nossa pele e é tão prejudicial que, ao longo dos anos, esse acúmulo de exposição solar pode provocar, na idade madura, câncer de pele. Sobretudo para quem tomou muito sol até os 18 anos. O outro vilão é o cigarro. Uma boa alimentação e exercícios físicos também são fundamentais para manter a saúde da pele.

A dermatologista Daniela Lemes explica que o cuidado com a pele deve ser um hábito cultivado desde cedo. / Fotos: Ana Lúcia Araújo

A dermatologista Daniela Lemes explica que o cuidado com a pele deve ser um hábito cultivado desde cedo. / Fotos e vídeos: Ana Lúcia Araújo

Botox, ácido hialurônico, preenchimento labial, bigode chinês, pés de galinha, olheiras profundas, reposicionamento de gordura, triângulo da juventude. No dicionário da  mulher de 50, essas são algumas palavras que aparecem constantemente. É preciso conviver com esse vocabulário e entender o que nos aflige e os procedimentos estéticos que podem corrigir os problemas. Em uma conversa franca, a dermatologista Daniela Lemes, de 41 anos, dá algumas dicas e fez um lembrete que arrancou risos da equipe: “Ninguém lembra do pescoço na hora de passar o creme. Não esqueçam do pescoço!”.

Integrante da Sociedade Brasileira de Dermatologia, da Sociedade Brasileira de Laser em Medicina e Cirurgia, da American Academy of Dermatology e diretora médica da Daniela Lemes Dermatologia &  Laser, Daniela Lemes é coautora do Tratado de Dermatologia Estética, juntamente com Maria Paulina Vilarejo Kede e Oleg Sabatovich.

No próximo dia 15 de setembro, às 17h, Daniela Lemes participará do evento “Fiz 50 e quero cuidar de mim!”, organizado pelo Mulheres50mais para o Rio Design Experience. O bate-papo ocorrerá no primeiro andar do Rio Design Leblon, ao lado da loja VIX. Além de Daniela Lemes, o evento contará com a presença de Ivana Samagaia, do Instituto Brahma Kumaris. Ivana é especializada em coaching pessoal de liderança e crises existenciais. As debatedoras responderão a perguntas do público. Não é preciso se inscrever antecipadamente.

A seguir, os principais trechos da entrevista da dermatologista Daniela Lemes:

Como a pele muda ao longo dos anos. / Fotos: Ana Lúcia Araújo

Como a pele muda ao longo dos anos. / Fotos e vídeos: Ana Lúcia Araújo

MUDANÇAS NA PELE –  “A alteração hormonal, por causa da menopausa, provoca mudanças bem visíveis: você tem uma redistribuição de gordura na parte superior da região do corpo com uma concentração de gordura no tórax e no braço, geralmente há uma diminuição de quadril e a pele fica cada vez mais seca. O ressecamento da pele é muito intenso e, se mulher já tinha pele seca antes, vai ter mais dificuldades de tratar. Há também uma alteração de pigmentação e, às vezes, a paciente reclama que não bronzeia mais como antigamente e que fica com a pele manchada. Isso porque os melanócitos, que produzem melanina, envelhecem. Há uma alteração de colágeno. Os tratamentos para rejuvenescimento estimulam a produção de colágeno. É claro que os procedimentos estéticos são diferentes para cada faixa etária”.

FILTRO SOLAR – “Pela Sociedade Brasileira de Dermatologia foi preconizado o uso de filtro solar de, no mínimo, fator 30. Os testes realizados chegaram à conclusão de que o filtro fará efeito se foi aplicado numa quantidade de dois gramas e meio por centímetro quadrado de tecido. Isso dá a regra de uma colher de chá. Ou seja, para você passar um filtro solar e ele realmente fazer efeito é necessário uma colher de chá do produto para rosto e pescoço, uma colher de chá para cada braço, uma colher de chá para o tórax, uma colher de chá para costas, e duas colheres de chá para cada perna. E isso deve ser reaplicado de três em três horas. Isso quer dizer que um filtro solar de 150 ml, numa pessoa de mais ou menos 60 a 65kg, duraria mais ou menos dois dias de praia. O problema é que a gente aplica de um terço ou a metade dessa quantidade ideal. Nós moramos num país tropical, o Rio é quente e úmido e, claro, sabemos que é complicado uma mulher ficar reaplicando o filtro.”

FILTRO SOLAR COM COR – “O pigmento ajuda porque faz uma barreira de proteção. Mas o grande problema é que mulher quer estar bem e passa pouca quantidade, quase como um creme hidratante. E a cor do rosto acaba ficando diferente do pescoço e de outras áreas. Eu sempre oriento assim: se quiser, passa o filtro solar com cor no dia a dia, mas quando for à praia ou então mesmo numa exposição solar mais intensa, como numa caminhada ou num churrasco ao ar livre, passa um filtro solar sem cor porque você vai ter que ficar reaplicando várias vezes.”

OS VILÕES – “Os fatores exógenos que mais prejudicam, que influenciam no envelhecimento, são o cigarro e o sol. Eles degradam o colágeno. Lógico que temos que falar também no álcool, no açúcar, porque cada vez mais sabemos que a alimentação influencia muito. Não estou falando só de obesidade, estou falando de qualidade de alimento.”

FLACIDEZ – “ Tem a questão genética e, às vezes, uma pessoa com 20, 30 anos tem um tecido flácido. Para ajudar a melhorar isso, tem que fazer muito mais atividade física, melhorar na musculação, exercício localizado. É importante fazer musculação. Antigamente se falava que as pessoas idosas deveriam só fazer esteira, hidroginástica. Hoje em dia é recomendado fazer musculação e não é com carga pesada, é para fazer com orientação de um profissional, ver as restrições, se tem algum problema de coluna. Tem que ter acompanhamento, mas musculação é importante. Outra coisa é cuidar da alimentação, com um acompanhamento de nutricionista.”

PELE NEGRA – “ A pele negra tem mais melanina e protege mais dos efeitos maléficos da exposição ao sol. Ela tem uma proteção natural maior que a pele branca e um tipo de colágeno diferente. Você percebe que a pele negra é mais firme, envelhece mais devagar. Quanto mais clara for a pele, com descendência europeia, se você reparar a pele será mais flácida, mesmo sendo mais jovem”.

FILHOS –  “Os cuidados com a pele devem começar desde cedo, devemos passar isso para os nossos filhos. Os efeitos da exposição solar são cumulativos. Já saíram vários trabalhos mostrando que o número de queimaduras solares que você tem até os 18 anos é que vai influenciar para, na idade madura, desenvolver um câncer de pele. Falo daquelas queimaduras, de ficar descamando todo, com bolhas. Hoje é mais difícil de acontecer, mas é preciso ter muito cuidado com crianças e adolescentes.”

VITAMINA D – “Nós vivemos num país tropical e há uma grande questão sobre a exposição de sol para quem tem deficiência da vitamina D. Hoje em dia, em lugares como o Rio de Janeiro, você anda de saia, camiseta de alcinha e está pegando sol. Lógico que se a pessoa tiver osteopenia, até mesmo osteosporose e precisar repor a vitamina D, eu recomendo que procure um médico e faça essa reposição com acompanhamento e que também faça uma exposição ao sol de 5 a 10 minutos por dia. Você não precisa expor o corpo todo ou o rosto. Você pode ficar na varanda, por exemplo e só expor uma perna num dia, a outra perna no outro dia, o peito do pé, a panturrilha, as costas. E sem filtro solar. Claro que isso é para quem tem deficiência de vitamina D. Não é para fazer sem indicação médica. O ideal é não repetir a mesma parte, para não ficar marcada. Deve-se evitar a área que já fica exposta como por exemplo rosto, colo, antebraço, dorso das mãos. Essas partes já são expostas o tempo todo. Mas tudo com acompanhamento”.

A dermatologista em sua clínica: tratamentos devem ser feitos aos poucos e observando resultados / Fotos de Ana Lúcia Araújo

A dermatologista em sua clínica: tratamentos devem ser feitos aos poucos e observando resultados / Fotos e vídeos: Ana Lúcia Araújo

TRATAMENTOS – “Para quem não se cuidou antes, a primeira recomendação é criar o hábito de usar diariamente o filtro solar. Há tratamentos para clarear a pele e reverter um pouco as manchas. Esse processo não se faz em apenas uma sessão. Em geral, as pessoas fazem uma programação ao longo do ano, fazendo os procedimentos aos poucos e vendo os resultados. Claro que, se continuar se expondo ao sol sem cuidado, vai ser difícil tratar e mudar esse quadro. Tem que seguir rigorosamente o tratamento.”

O QUE NÃO PODE FALTAR NA BOLSA – “Um filtro solar de, no mínimo, fator 30. Para a boca, um batom faz uma proteção física e ajuda, mas quando você vai se expor ao sol tem que passar um protetor labial com filtro 15, para prevenir o câncer de pele mais frequente no lábio inferior. Há pessoas que preferem um filtro solar com cor para o rosto e um comum para colo, antebraço e mãos, para não sujar a roupa.”

AMBIENTE FECHADO – “Mesmo quem em locais fechados precisa usar filtro solar por causa da exposição da luz do ambiente, do computador. Tem que pensar sempre no efeito cumulativo de anos. Então, se não quer passar um filtro porque acha oleoso e, às vezes, almoça no mesmo espaço fechado, há a opção de passar no rosto um pó compacto com filtro ou pancake e replicar na hora do almoço. Não é a proteção ideal, mas entre nada e alguma coisa, já é bem melhor. Hoje em dia você tem filtros solares contra luz visível, a luz do computador, da lâmpada.”

AR CONDICIONADO – “Resseca bem a pele. A alternativa é hidratar muito. Há produtos específicos para pele seca e, claro, é importante fazer hidratação de dentro para fora bebendo muito líquido, água, suco, água de coco”.

HÁBITO – “Se a mulher não gosta de passar cremes e usar filtro, o médico deve conversar e chegar a uma solução que seja interessante para ela. Não adianta passar muitos cremes e filtros e a mulher usar apenas uma ou duas semanas e abandonar o tratamento. Há casos em que eu prescrevo apenas um creme para noite para usar no rosto, pescoço e área dos olhos. De manhã, um serum e um filtro solar. Precisamos pensar que há o que é o ideal e o que é possível”.

AUTOBRONZEADOR – “Tem mulher que gosta de manter o bronzeado. Então eu recomendo que antes de usar, faça uma esfoliação na pele, para ficar homogênea, mais fina e, assim, terá um tom uniforme. O ideal é aplicar uma vez por semana. Mas é bom entender que uma mulher muito branquinha jamais ficará com uma cor de jambo. Você tem que aceitar o tipo de pele que tem e tratar da melhor maneira possível”.

 

Angelina Nunes

Angelina Nunes

Carioca, apaixonada pelo samba, ela tem pressa. Nasceu dentro de um trem da Central do Brasil, quando os pais tentavam chegar ao hospital na Tijuca. Está entre as jornalistas mais premiadas do Brasil, tendo conquistado Esso, Embratel, Vladimir Herzog, SIP, YPIS e Rey de España. Formada pela UFRJ, fez pós-graduação em Políticas Públicas no Iuperj e é mestre em Comunicação pela Uerj. Começou a trabalhar em 1980. Foi repórter e editora-assistente na Rádio MEC, TVE, TV Manchete, O Dia e O Globo. É professora na ESPM-RJ e integra o conselho da Abraji (Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo), da qual foi presidente em 2008–2009. Adora viajar e inventar novas trilhas com a filha Bárbara e o parceiro Paulo. Gosta de dançar e cantar, de caminhar na praia ou no mato, de astrologia e tarot. Viciada em séries e em livros. Gosta de trabalhar em equipe e de fotografar. Não gosta de cozinhar, mas adora comer.

1 Comment

Deixe um Comentário